ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Série André Luiz

O texto a seguir é uma síntese muito breve da obra, para obter um resumo mais detalhado clique aqui.

Libertação

“A cada um será dado de acordo com as suas obras”

O Instrutor Gúbio, com Elói e André Luiz, em missão numa imensa colônia purgatorial. / A lenda do peixinho vermelho. / A palavra do Ministro Flácus. / Matilde materializa-se no templo e pede o concurso de Gúbio para a libertação de Gregório, há séculos revoltado e a serviço dos “Dragões”, em zona abismal. / Campos de saída. / Adensamento do peripírito para atuar em regiões trevosas. / Aleijados, pigmeus, inteligências sub-humanas, monstros. / Entrevista com Gregório. / Julgadores despóticos. Licantropia. Espíritos seletores. / Corpo, peripírito e mente. 2ª morte. Ovóides; perda da forma perispiritual. / A tirânica senhora de escravos e seus perseguidores tornados ovóides. / Diálogo entre Gúbio e Gregório: intercessão por Margarida, perseguida por 60 servidores de Gregório; Saldanha comanda o “serviço”. Dezenas de ovóides (veículos mentais) e vampirização incessante. / Visita a uma igreja. / A história de Saldanha: seu filho Jorge, condenado inocente; Irene, a nora, suicida-se e imanta-se a ele. O juiz é o pai de Margarida, cujo irmão quer seduzir Lia, a neta de Saldanha, a serviço na casa. / Maurício descreve outro drama doméstico (jovem e bela esposa é verdadeira bruxa perispiritual). / Gabriel, esposo de Margarida, leva-a a um “professor de ciências psíquicas”, mas Saldanha anula as possibilidades de ajuda. / Gúbio liberta Jorge e encaminha Irene e Iracema, mãe dele. A doutrinação do juiz beneficia Jorge e Lia. Saldanha transforma-se e põe-se ao lado do bem. / O caso Leôncio: seu filho, criança ameaçada por Felício, irmão de Elói; Gúbio o doutrina e Elói ajuda com um susto no irmão! / Finalmente, o auxílio a Margarida: os ovóides são retirados. A defesa da casa. Gúbio põe sinais luminosos nas janelas; acorrem Espíritos sofredores e perseguidos. / O caso Isaura, médium ciumenta (cede ante obsessores). / Cerco pelos seguidores de Gregório. AL em ação. A oração de Gúbio e a palavra de Matilde, materializada. Encontro com Gregório: duelo, choque entre a luz e a treva! Libertação: Gregório volta à fragilidade infantil; poderá habilitar-se à reencarnação. / Final.

Criaturas revoltadas não se regeneram à força de palavras! / Cristo não brilha apenas pelo ensino sublimado; resplandece na demonstração. / Há 40.000 anos o espírito humano lida com a razão. / Um reino espiritual, dividido e atormentado, cerca a humanidade, intentando dilatar o domínio da tirania e da força. / O mau é corrigido pelo mau. / Somente o amor sentido e vivido por nós provocará a eclosão dos raios do amor em nossos semelhantes. / Sem a mobilização da vontade, seremos joguetes das circunstâncias. / “A precipitação pode arrojar-nos a estados primitivistas, não nos esqueçamos da prece!” / “Quase todas as almas humanas, vivendo nessas furnas, sugam energias dos encarnados.” / O remorso é uma benção, mas é também uma brecha. / “Aqui se forjam dolorosos dramas a se desenrolarem nos campos da carne” / Trabalho incessante para o bem, disciplina dos impulsos, manifestações mais nobres do sentimento equivalem a crescimento mental e aquisição de luz. / Elevamo-nos com aqueles que amamos e redimimos, ou rebaixamo-nos com quem perseguimos e odiamos. / Aquisição de fé demanda trabalho individual persistente. / O cérebro de carne não suporta a carga de duas vidas. / Educação não vem por imposição. / Uma dor maior sempre consola uma dor menor. / Espírito algum trairá os imperativos sábios do esforço e do tempo! Quem pretende a colheita de felicidade no século vindouro, comece já a sementeira de amor e paz! / “Age corretamente, esquece as frases vazias ou venenosas, e a maledicência” / Mentes cristalizadas na rebeldia, entrincheiradas nas paixões escuras, criam quistos de vida inferior, na organização terrestre; conhecem inumeráveis meios de perturbar, ferir, aniquilar. / O mal é o desperdício do tempo ou o emprego das energias em sentido contrário aos propósitos divinos. / Para quem anestesiou as faculdades no prazer fugitivo, a separação da carne geralmente leva a doloroso estágio na incompreensão e na revolta. / “Não desanime! O tempo é preciosa dádiva do Senhor.”

Veja também:

ADE-PR © 2019 / Desenvolvido por Leandro Corso