ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 144ª edição | 03 de 2021.

Lentes Especiais

Os diversos tipos de educação e autoeducação

 

O vocábulo ‘educação’ vem de educare era um verbo latino usado no sentido de “criar” (uma criança), nutrir, fazer crescer. Na língua portuguesa, etimologicamente falando, educação vem do verbo educar e significa “trazer à luz a ideia” ou, filosoficamente, fazer a criança passar da potência ao ato, da virtualidade à realidade.

Podemos dizer que ‘educar’ está ligado a educere, verbo composto do prefixo ex (fora) mais ducere (conduzir,levar) e significa literalmente ¨conduzir para fora¨, ou seja, preparar o indivíduo para o mundo.

Se perguntarmos se educação é instrução, a resposta mais correta seria ‘sim’, mas não só. A instrução ou mera transmissão formal de conhecimentos representa somente uma parte da educação que é uma área do desenvolvimento humano muito mais ampla e complexa. No máximo, a instrução, além de nos proporcionar maiores chances de obter sucesso profissional e, consequentemente, socioeconômico, pode nos conduzir a um mergulho mais profundo nos oceanos da cultura.

Educação é ter boas maneiras? Naturalmente que aqui a resposta é ‘não’, pois, possuir boas maneiras significa somente agir com polidez no trato interpessoal e atitudes refinadas em locais públicos. Entretanto, há muitas pessoas instruídas e de fino trato que, todavia, quando as circunstâncias permitem ou longe das vistas humanas, desrespeitam até as regras morais mais elementares.

Podemos também indagar se é válida a chamada educação religiosa e, em se considerarmos o Espiritismo como sendo uma destas vertentes, a condição de espírita, automaticamente, contribuiria para a educação geral do indivíduo. Ou seria melhor falarmos em termos de educação moral?

Certamente que a Doutrina Espírita se constitui numa fonte abundante de conhecimentos capazes de libertar o ser humano da ignorância permitindo-lhe aprender a distinguir o certo do errado. Porém, cabe lembrar que, por si só, a teoria guarda grande distância da aplicação prática.

Tudo o que se relaciona à vida material também afeta o espírito, logo tem a ver com o Espiritismo e a Educação Espírita. Tudo o que afetar o corpo para o mal, mas também para o Bem, repercute sobre o espírito e é de sua responsabilidade.

O estresse e outras enfermidades, a exposição desnecessária a riscos de acidentes, preocupações, problemas, escassez de recursos, tudo compromete o bem-estar, gera obstáculos à felicidade, logo atrapalham o espírito.

A falta de uma educação alimentar e física – quem não lembra das aulas de Educação Física? - a obesidade, enfermidades como a diabetes, hipertensão e outras dificultarão que a reencarnação seja bem aproveitada. Deixaremos de fazer muita coisa que poderíamos e deveríamos fazer.

Seguindo a mesma esteira de raciocínio, podemos dizer que a educação sexual – ou a falta dela - também tem a ver com o Espiritismo. As relações afetivas, casamento, separação, ciúme, crimes, promiscuidade, prostituição, pedofilia. Todas estas situações comportamentais dizem respeito ao corpo físico, mas envolvem emoções, sentimentos, pensamentos, atitudes com reflexos diretos no espírito.

E quanto à educação financeira? Nesse caso, mais uma vez, podemos elencar inúmeras consequências negativas que repercutirão na intimidade do ser e que, por isso mesmo, deveriam merecer cuidados especiais da nossa parte e dos próprios educadores a fim de que estivéssemos aptos a gerenciar adequadamente este importante aspecto da vida material. Aborrecimentos, preocupações, comprometimento da saúde, o não atendimento das necessidades básicas, conflitos familiares, dificuldades na velhice são alguns dos problemas comuns gerados pela imprevidência e desorganização pessoal de gastos.

E a educação política? O processo pelo qual o indivíduo torna-se apto a contribuir positivamente na escolha e posterior acompanhamento da atuação de seus representes públicos requer não só a busca de informações a respeito deles, mas a compreensão de aspectos gerais que envolvem a Política.

Grande parte do nosso destino está nas mãos dos governantes. E não será só na hora do voto que devemos estar atentos, mas adquirir conhecimento prévio para saber, por exemplo, se posicionar diante de conceitos e valores defendidos pelas diferentes correntes políticas porque estes posicionamentos influenciam outras pessoas. As nossas ações causam reações nos outros que, por sua vez, reagem sobre nós e toda a sociedade. E se isso tudo influencia a nossa vida e a sociedade, importa e muito ao espírito.

O que dizer da educação no trânsito? Acidentes, aborrecimentos, recursos prejudicados que depois faltarão para outras necessidades, consequências morais por eventuais prejuízos físicos aos outros, isso não compromete a paz do espírito, não são causas de efeitos diversos que teremos a lamentar?

Não é diferente com a educação cívica. A nossa grande família é a humana, mas devemos ter amor à Pátria, apreciar, preservar e difundir nossa cultura, valores, nossas belezas naturais, os símbolos nacionais e que já não têm sido respeitados como outrora. Afinal, esse é o país no qual renascemos, provavelmente por escolha própria e com o qual temos compromissos e responsabilidades.

Não podemos deixar de mencionar um outro tipo de educação dos mais importantes que é a educação ambiental. Em decorrência de seu abuso, da falta de zelo e responsabilidade, não só o nosso país como o mundo inteiro sofre com a poluição de rios e mares, devastações florestais. 

E se isso parece fora do alcance dos nossos cuidados, lembremos das coisas mais próximas como o ar das cidades, o lixo nas ruas e nos córregos, o desleixo nas praias. Ora, se isso não tem a ver com o espírito, não sabemos mais o que teria a ver.

E podemos finalizar com a importantíssima educação emocional e dos sentimentos. Aqui, por tão óbvia, vamos nos dispensar de tecer maiores comentários.

Enfim, como reza o dito popular, Quando a cabeça não ajuda, o corpo padece. Cabeça aqui, entendida como pensamento, a mente e, sim, o espírito.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2021 / Desenvolvido por Leandro Corso