ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 81ª edição | 09 de 2010.

Autorretrato

A matéria de capa da edição n° 22, do bimestre novembro-dezembro de 2000, do

ADE-PR Informativo, iniciou com a reprodução da pergunta 784 de “O Livro dos

Espíritos” e sua respectiva resposta, bastante conhecida, aliás, principalmente pelo

trecho em que os Espíritos Superiores afirmam que É preciso que haja excesso do mal

para fazer-lhe (ao homem) compreender a necessidade do bem e das reformas. Não há

retrocessos morais e sempre se avança, embora certas situações ou ocorrências possam

indicar o contrário.

Como exemplo, o texto citava, isso no limiar do 3° Milênio, as “gritantes

desigualdades sociais, os conflitos entre palestinos e israelenses, a fome de 800 milhões

de pessoas no mundo, a descontrolada violência urbana no Brasil, o fanatismo suicida de

algumas seitas, a corrupção, a AIDS e as drogas. Como se vê, o quadro permanece

praticamente inalterado.

Lembrava-se depois de outro apontamento dos Espíritos sobre “a audácia dos

maus devido à timidez dos bons”, acrescentava o caráter inelutável e irreversível do

progresso por consequência do trabalho individual e alertava que “Nossos netos, as

próximas gerações, Deus e nós próprios, em aqui retornando, indagaremos sobre o que

fizemos na Terra”. A receita para não fracassarmos na empreitada, concluía o texto, está

na questão 918 da obra antes citada, “Caracteres do homem de Bem”.

Na página 02, informava-se a entrada em vigor dos novos Estatutos Sociais da

ADE-PR, a partir de 1° de janeiro de 2001, com a estrutura administrativa sendo

constituída, além da Assembleia Geral de Associados e o Conselho Fiscal, com um

Conselho de Administração composto por dez membros, o presidente, seu vice e oito

coordenadores de área. À página 03, em “Subsídios para Melhoria da Imprensa

Espírita”, Y.Shimizu escreveu sobre as funções da Comunicação e foi apresentada uma

classificação dos meios de comunicação de massa.

Nas páginas centrais (04 e 05), Wilson Czerski desenvolveu a primeira parte de

um estudo sobre o fenômeno das materializações. Começou por explicar que a “chave”

para sua ocorrência está na função do perispírito de matriz fluídica do corpo físico e na

sua propriedade de plasticidade.

Depois fez comentários sobre o ectoplasma, suas características físicas, fontes na

natureza e possibilidade de transporte. O último item analisado foi “As irradiações e os

sacrifícios de animais”. As primeiras tangenciando com o tema ‘passes’ e os últimos

adentrando aos fenômenos envolvidos em rituais do Candomblé, por exemplo.

A página 07 trouxe uma novidade: a inauguração da seção “Teste seus

Conhecimentos”, ora na forma de perguntas sobre assuntos gerais do Espiritismo com

respostas em múltipla escolha, ora com palavras cruzadas. Referida seção que muito

agradava aos leitores permaneceu por quase oito anos, cerca de 50 edições.

Com início nesta mesma página e conclusão na seguinte, noticiou-se a realização

do 3° Encontro de Comunicação Social, patrocinado pela Federação Espírita do Paraná.

Coordenado por Merhy Seba, o evento teve por tema “Comunicação de Massa”. Após

um retrospecto sobre as edições anteriores, Merhy recomendou a abolição total do

improviso nesta área, desde um simples aviso interno até a veiculação pela mídia ao

grande público.

Ressaltou a importância dos líderes de opinião pública, como os artistas, para

servir de porta-vozes da mensagem espírita, superando em parte a grande dificuldade

enfrentada pelo Movimento Espírita, que é a falta de recursos para se investir

diretamente nos veículos de comunicação de massa.

Falou sobre a segmentação de mercado e escolha do público-alvo para cada

ação, descobrindo-se os nichos para atuação mais delimitada. Estabeleceu a diferença

entre propaganda e marketing direto, sendo a primeira massificada, genérica, pelo

monólogo e com resposta mediata e o segundo, individualizado, com diálogo e resposta

imediata.

Após uma exposição teórica sobre as etapas para criação de uma campanha

publicitária, seguiu-se um exercício prático em diversos grupos. Lembrou que os

insights, muitas vezes, só surgem após um período de ‘incubação’ de horas ou dias.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2019 / Desenvolvido por Leandro Corso