ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 86ª edição | 07 de 2011.

Autorretrato

O ataque terrorista ao World Tarde Center há dez anos;
o que são fases e extensão dos transes; as diferenças en-
tre divulgação e comunicação; um teste de conhecimentos
e outro de autoavaliação sobre falar em público

     O n° 27 do “ADE-PR Informativo” deveria corresponder ao bimestre setembro- outubro de 2001, mas erradamente constou em seu frontispício como outubro-novembro. Duas das chamadas da capa referiam-se aos eventos simultâneos realizados na cidade de São Paulo nos dias 07 e 08 de setembro, quais sejam, o IV Simpósio de Comunicação Social Espírita e a reunião do Conselho Nacional da Abrade – Associação de Divulgadores do Espiritismo, durante a qual foi eleita sua nova diretoria para o biênio 2002-2003.


     O Editorial, à página 02, teve como título “A tragédia americana – algumas reflexões” e tratava do então recente ataque terrorista ao World Trade Center e ao Pentágono. O texto chamava atenção para a explicação simplista de que todas as vítimas estavam em processo expiatório. As questões 737, 738 e 740 de “O Livro dos Espíritos”, ao tratar da Lei de Destruição, fala em provas e não em expiações. E a 738 admite a possibilidade de pessoas morrerem sem estarem programadas para tal.


     Ao lado do Editorial, “Cantinho Científico” analisou as “Fases e extensão dos transes”. Em relação às fases que significam a profundidade em relação ao estado de consciência do sensitivo, têm-se os transes superficial, profundo e intermediário. Quanto à extensão, há o hemissonambulismo ou automatismo parcial e o automatismo global, conforme o processo de inibição cortical atinja o cérebro parcial ou totalmente.

     As páginas centrais (04 e 05) foram destinadas ao Simpósio de Comunicação Social Espírita no qual se debateu principalmente a questão da escolha entre divulgação e comunicação do Espiritismo, questão essa, à época, muito em voga no seio da Abrade, através de suas Listas de Debate na internet. A ADE-PR estivera presente ao evento nas pessoas de seu presidente e vice, Wilson Czerski e Y. Shimizu, respectivamente.

 
     Geszler Carlos West, de Recife, ao apresentar o painel “Espiritismo e Comunicação”, a certa altura, frisou que “o foco principal dos espíritas não deve estar na ânsia de doutrinar, inserir conceitos, mas de dialogar... sem se julgar de posse de qualidades superiores. Dialogar, de preferência, não com, mas na sociedade, tendo, por meta a felicidade do homem”. E arrematou com uma de suas frases preferidas: “É preferível fazer o aproximadamente hoje do que o exatamente nunca”.


     Luiz Signates, de Goiânia, polarizou a sua fala com o confronto entre técnica e ética, situando que a divulgação, pura e simples, preocupa-se mais com a técnica, enquanto a comunicação cuida mais da ética no modo como se transmite o Espiritismo. “Divulgar – declarou ele – pode ser bom e até simples de ser feito, mas não pode ser nosso objetivo porque reduz o projeto espírita a uma mera busca religiosa expansionista e, não raro, dogmática”.

     Finalizou afirmando que a comunicação deve estar alicerçada em quatro pilares: interação, diálogo, alteridade e fraternidade. Deve-se estar disposto não só a ensinar, mas também a aprender.

     Porém, Wilson Garcia (SP), no painel seguinte, procurou conciliar a importância dos dois conceitos. Ainda que algumas pessoas com formação acadêmica na área da Sociologia e da Comunicação não gostem, garantiu ele, por muito tempo ainda se faria simplesmente a divulgação do Espiritismo.


     Na página 06 da edição figurou o Teste seus conhecimentos, composto de 10 questões, das quais relembramos aqui três delas. Uma tinha o seguinte enunciado: “Assinale a alternativa correta para o nome do extraordinário vidente que muito colaborou com Kardec, acompanhando-o, inclusive, em viagens de observação e estudo”: a) Adrien; b) Sra. Piper; c) Douglas Hume; d) Julie Baudin.


     Numa outra, o tema era do Evangelho: “Nome do publicano de Jericó que, para melhor ver Jesus, subiu numa figueira” e as alternativas: a) Nicodemus; b) Zaqueu; c) Jairo; d) nenhuma das acima.

     E a última que recordamos aqui perguntava se “É correto se afirmar: a) os mundos transitórios são perpetuamente destinados aos espíritos errantes; b) a visão dos espíritos ocorre através dos olhos do perispírito; c) os espíritos comunicam-se entre si através do pensamento o qual se propaga pelo Fluido Cósmico Universal; d) o espírito não pode abreviar nem retardar o momento da reencarnação.
 As respostas a estas perguntas, o leitor encontra no pé desta página.


     Na página 07, o confrade Elfay Luiz Appollo, de São Paulo, assinou o texto “Base Cultural e epistemológica do Espiritismo e a presença histórica e doutrinária de Jesus”. Como pano de fundo cita o livro “Jesus viveu na Índia”, do teólogo alemão Olger Kersten, na qual Elfay diz ter encontrado a defesa de vários postulados espíritas sem que, no entanto, se faça qualquer menção a Allan Kardec.


     Finalmente, na página 08, fez-se referência à entrevista concedida por Geszler Carlos West, recém-eleito presidente da Abrade, ao programa “Diálogos Espíritas”, da Rádio Boa Nova. O programa também contou com a participação de Wilson Czerski (PR) e Marcelo Henrique Pereira, da ADE-SC.


     Interessante teste de autoavaliação sobre as qualidades de comunicador foi inserido nesta página. Elaborado pelo consultor Reinaldo Passadori e publicado na revista Veja, de 25 de junho de 2001, o teste se compunha de 20 perguntas às quais se deveria responder com um de cinco níveis de frequência de uso que iam dos extremos ‘sempre’ e ‘nunca’.


     As questões referiam-se, entre outros aspectos, ao medo de falar em público, a naturalidade da conversa, o “olho no olho”, clareza e simplicidade de raciocínio, vícios de linguagem, gesticulação, uso de recursos audiovisuais, sorriso durante a fala, elaboração de roteiro para palestras, intimidade com microfone, fala de improviso, aparência e marketing pessoal, controle emocional, etc.

Respostas do teste de conhecimentos: 1) A; 2) B; 3) C

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2020 / Desenvolvido por Leandro Corso