ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 86ª edição | 07 de 2011.

Os tormentos das drogas

Por João Batista Cabral

          Desde o século passado que o progresso tecnológico e científico possibilitou ao homem chegar à Lua e a decifrar alguns segredos da natureza, mas, com tudo isso, algumas leis de Deus, ainda, são ignoradas. Podemos afirmar que avançamos no aspecto intelectual, mas no aspecto moral, muito pouco. O avanço moral nada mais é senão vivenciar os sentimentos e pensamentos superiores em todos os momentos da nossa vida.

 
          Em nossa sociedade dita civilizada, nos dias em que vivemos, defrontamos com o fantasma das drogas produzidas em laboratório ou em plantações em países da América Latina e da Ásia. Isto tem ocasionando elevados índices de morte tanto pelo suicídio como pelo homicídio com o aumento da violência na família e na sociedade.


          Segundo pesquisas em revistas especializadas e publicadas no Brasil, verificamos o alto consumo de nicotina, heroína, cocaína, maconha, álcool, inalantes, crack e agora o óxi. Outras drogas também são utilizadas como os sedativos, estimulantes, analgésicos e tranquilizantes que são vendidas nas farmácias e drogarias.


           Na realidade usar drogas deve constituir um crime por estes motivos. Fazem mal à saúde. A maconha, por exemplo, provoca câncer; a cocaína aumenta as chances de isquemia e ataque cardíaco. Além disso, o uso de drogas reduz a autoestima, aumenta a chance de depressão e causa dependência. A cocaína, a heroína e a maconha causam vício de uso frequente. Estatísticas indicam que até 10% dos usuários de maconha ficam dependentes.


           Incitam à violência. Na Holanda, 5.000 dos 25.000 dependentes de drogas são responsáveis por cerca da metade dos crimes leves. Na Inglaterra eles respondem por 32% da atividade criminal. Quase todos os usuários de drogas pesadas já consumiram a maconha. O governo americano diz que fumar maconha aumenta em 56% a chance de consumo de outra droga. A Holanda liberou o uso de maconha e ela subiu em 400%.

           As drogas causam prejuízo à sociedade. Perverte quem as usa. O seu uso transforma pessoas produtivas em indolentes, responsáveis em inconsequentes, cidadãos em párias. Não somos a favor da legalização das drogas. Mas, existem outros fatores negativos que interferem nas vidas das pessoas que as usam como a chamada obsessão espiritual.


           Ela se instala com a influência dos espíritos desencarnados que se afinam com os usuários e neles produzem uma forte alteração de comportamento, realizada sempre, pela sintonia mental e pelas vibrações idênticas. Estes espíritos, muito atrasados, sugam as energias dos seres encarnados, realizando, assim, um processo de vampirização espiritual e, em muitos viciados, estimulam a cometer crimes. Pense nisto!

 

Referências

(*) Presidente da ADE-SE, jornalista e radialista.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2020 / Desenvolvido por Leandro Corso