ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 88ª edição | 11 de 2011.

Autorretrato

Um balanço da ADE-PR no período de sua fundação
até 2001; a importância das referências bibliográficas;
os transes farmacógenos e três perguntas para testar
os conhecimentos do leitor

      Na edição n° 29 deste periódico, referente ao bimestre janeiro-fevereiro/2002, o principal destaque foi a notícia da eleição do prof. Y. Shimizu como presidente da ADE-PR. Durante três mandatos, desde a fundação da entidade em 1995, Wilson Czerski ficara à frente de seus destinos.

      No texto da primeira página, foi lembrado slogan “Divulgação: SEMENTEIRA DE LUZ” inscrito no mapa do Paraná sobreposto ao do Brasil e que constituía a logomarca do “ADE-PR Informativo”, primeiro nome deste jornal. A tarefa de continuar “semeando luz”, isto é, conhecimento espírita, deveria seguir norteando os esforços da nova equipe.

      O presidente recém-eleito assinou o Editorial no qual, após um ligeiro histórico sobre o surgimento da Abrade e, posteriormente, da ADE-PR, fez um balanço de todo o período anterior até o momento atual. Destacou a realização de seis Feiras do Livro, com mais de dez mil livros comercializados, outros cinco mil pelo Clube do Livro, a publicação de uma cartilha sobre Clube do Livro, palestra com o jornalista e escritor mineiro Wilson Garcia, um workshop sobre jornalismo espírita e as ativas participações no III Simpósio Paranaense de Espiritismo, no I Conbrade – Congresso Brasileiro de Divulgadores do Espiritismo, em Pernambuco, ambos em 1997 e no Encontro Nacional da Abrade, em Cuiabá – MT, em 1998.

      Outros fatos foram lembrados como o curso “Subsídios para melhoria da imprensa espírita”, publicados em fascículos no próprio jornal, a criação da homepage em agosto de 2000, a campanha “Espiritismo em Movimento: fiquei por dentro!”, de incentivo à leitura e assinatura de jornais espíritas, as participações regulares em programas de rádio e televisão da capital e, ainda, no IV Simpósio Sobre Comunicação Espírita em São Paulo, em setembro de 2001 e, finalmente, um grande marco, a publicação do livro “A Eficiência na Comunicação Espírita”, em 2001.

      Shimizu dedicou os últimos dois parágrafos ao ex-presidente: ... representa uma considerável folha de serviços... imprescindível que se diga, que se deve a ele e ao seu dinamismo, dedicação e persistência, a fundação, a aceitação da ADE-PR pela comunidade espírita paranaense e a sua consolidação como entidade... é de justiça que... possamos externar a profunda gratidão pelos esforços empreendidos nestes seis anos de lutas contínuas e sem tréguas.

      Ocupando toda a página 04 e parte da seguinte, o artigo “Uma cruzada pelo uso das referências bibliográficas e outras iniciativas”, assinado por Márcio da Silva Neiva, conclamava escritores e articulistas espíritas a criarem o hábito de mencionar as fontes de transcrições, citações, capítulos e obras. Visava, com isso, “facilitar o trabalho de exposição doutrinária e também a vida do estudioso, do pesquisador”, caracterizando, um procedimento de “ética, respeito ou fidelidade ao trabalho de terceiros...”.

      Ainda na página 05 noticiou-se o lançamento da homepage da Abrade no mês de janeiro, iniciativa à qual a própria ADE-PR se antecipara à entidade nacional em cerca de cinco meses.

      A seção “Cantinho Científico (pág. 06) revelou detalhes sobre os processos mentais que envolvem o transe farmacógeno. Ao lado do hipnótico, constitui um dos tipos de transes provocados. O texto citou algumas drogas consideradas como agentes desencadeadoras destes transes, embora, algumas somente de modo secundário.

      O cânhamo indiano, gases telúricos, gás carbônico, o soma – bebida hindu -, o cactus mexicano, anestésicos em geral, protóxido de azoto, a escopocloralose, narcóticos, álcool, mescalina, psilocibina, LSD, todas estas substâncias podem provocar dois tipos de fenômenos: as alucinações e a liberação das chamadas funções PSI, com características anímicas – manifestações da própria alma do indivíduo - ou mediúnicas, com atuação de espíritos desencarnados.

      Em ambos, a performance no cérebro é a mesma: inibição cortical e excitabilidade subcortical. Difícil é distinguir o que é alucinação e o que é real manifestação espiritual.

     Depois o articulista teceu comentários sobre as experiências de Hofmann com o LSD, em que, desdobrado espiritualmente, podia ver o seu corpo inerte, deitado no sofá, enquanto caminhava pelo ambiente. Mais ou menos o que tem se verificado atualmente com aos relatos de EQMs ou Experiências de Quase-Morte.

     Ressalte-se que muitas vezes, quando o indivíduo, tomado por um transe farmacógeno, relata, ora visões agradáveis, ora cenários infernais, eróticos, etc e que são catalogadas, a priori, de alucinações, também aí, deveriam merecer exame mais acurado. Da mesma forma como durante o sono fisiológico e após a desencarnação, o espírito é atraído para locais compatíveis com a sua faixa de frequência mental determinada pelas condições morais próprias, seria natural esperar que, durante momentos de afastamento corporal por força de poderosos elementos químicos, veja-se em meios de mesma natureza que a sua.

     É de se perguntar, por exemplo, quanto das manifestações alucinatórias descritas pelos viciados em drogas pesadas são somente desordens da consciência imaginativa e quanto delas pode representar efetivamente contatos com outros seres da mesma estirpe, em zonas tangentes à crosta terrestre, mas já em uma dimensão menos material que ela. Seria o próprio Umbral tão bem descrito nas obras do autor espiritual André Luiz, pela psicografia de Francisco Cândido Xavier, inclusive, “Nosso Lar”, grande sucesso recente no cinema brasileiro.

     Na página 07 foi publicado o Relatório da Administração da ADE-PR referente à gestão 2000-2001 e a composição nominal da nova diretoria encabeçada por Y. Shimizu. E na 08, além de nomes, endereços e valores de assinaturas de alguns jornais espíritas, dentro da campanha da ADE-PR de estímulo às mesmas, foi inserido o “Teste seus conhecimentos”, do qual relembramos três das dez questões ali propostas.

     1) Qual das máximas abaixo está mais associada à ideia de destino?A) A vida é causal e não casual;B) Todo efeito inteligente tem uma causa inteligente; C) Pelo fruto se conhece a árvore; D) A cada um, segundo suas obras; E) As alternativas “a” e “d” estão corretas.

     2) Assinale a mais correta. “O fenômeno morte é consequência... A) da lei de Causa e Efeito; B) dos abusos e vícios; C) do esgotamento dos órgãos; D) do bloqueio à ação do princípio vital.

     3) O princípio da reencarnação, do ponto de vista filosófico, pode ser observado, analisado e comprovado: A) através das regressões de memória; B) pelo diálogo de Jesus com Nicodemus; C) como solução racional às diferenças físicas, intelectuais, sociais e moras entre os indivíduos; D) todas as alternativas estão corretas.
As respostas estão na página 05.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2019 / Desenvolvido por Leandro Corso