ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 97ª edição | 05 de 2013.

Livros que eu recomendo

Por Wilson Czerski

Contatos Interdimensionais

E por que eu recomendo? Porque a autora é especialista no assunto, fundadora em 1990 da Associação Brasileira de Transcomunicadores e que atualmente conta com mais de 2000 associados. Seguindo os passos de ilustres pesquisadores estrangeiros que iniciaram os estudos na área das comunicações de espíritos através de aparelhos eletrônicos como o rádio, telefone, televisão, computadores, etc há cerca de meio século, Sonia Rinaldi tornou-se a figura mais proeminente no Brasil e respeitada também no mundo inteiro.

Do início, quando raramente se obtinha mais do que palavras esparsas e quase incompreensíveis, hoje já é possível entabular diálogos em tempo real na forma de perguntas e respostas e comentários. Os estudos das EVP, abreviatura em inglês para “Fenômenos de Vozes Eletrônicas” é fascinante por demonstrar cientificamente a sobrevivência da alma, a manutenção de sua individualidade e a possibilidade de os chamados mortos se comunicarem com os vivos.

Nestas mais de duas décadas de pesquisas e observações, os métodos da brasileira aperfeiçoaram-se bastante e a variedade de fenômenos é também muito significativa, como a obtenção de muitas respostas dos espíritos simultaneamente e diferentes para as mesmas perguntas como, por exemplo, em uma experimentação realizada em maio de 1998. Utilizando-se três gravadores, para 44 perguntas formuladas foram obtidas 269 respostas.

Em outro caso, pela primeira vez um laudo científico comprovou que a autoria de uma mensagem no celular da ex-esposa era de alguém que já havia morrido. A comparação se fez com vozes dele gravadas em antigas fitas-cassete. À página 143, Rinaldi esclarece sobre as dúvidas lançadas sobre um dos primeiros casos que mais causaram polêmica envolvendo imagens captadas por televisão, as da atriz Romy Schneider.

Foram captadas por Klaus Schreiber, a primeira delas de uma cena do filme “A moça e o comissário”. Aventou-se a hipótese de ter sido copiada do próprio filme que estivesse sendo exibido em algum lugar. Mas tal não se sustenta por dois motivos. Primeiro que o espírito da atriz desencarnada já havia se comunicado por psicografia avisando do evento seguinte. E segundo porque uma análise técnica revelou que havia uma sequência de 1 a 8 a partir de “massa nebulosa”.

No livro, Sonia explica que há três tipos de imagens paranormais: a) imagens-psi: são espontâneas, necessitam de um médium e as cenas são inseridas na dimensão terrestre e só podem ser repetidas pelas pessoas habilitadas; b) transimagens: são cenas exclusivamente espirituais e c) imagens-psi-eletrônicas ou mistas.

Praticamente cada sessão apresenta particularidades que podem surpreender até mesmo os próprios pesquisadores. Foi o caso de 23 frases curtas obtidas em seis segundos com vozes sobrepostas. Segundo um especialista da USP isso só possível se oriundos de diferentes espaço-tempo ou diversas fontes irradiando simultaneamente. Um americano obteve imagens coloridas e também superpostas só desmembradas se vistas no ‘quadro a quadro’.

Mas se enganam aqueles que pensam que estes fenômenos, por dispensar a intermediação de outras pessoas, os médiuns, o estado mental, emocional e mesmo espiritual dos experimentadores não façam diferença. Segundo o espanhol José Garrido, o experimentador funciona como uma antena viva, receptora, e suas atitudes e pensamentos influenciam muito. 

Ainda sobre o mesmo assunto, lendo as observações do colega de Garrido, Afonso Galeano, parece estarmos diante das recomendações de Allan Kardec ao tratar dos cuidados necessários com o ambiente para se obter bons resultados. A disposição de todos os presentes deve ser de elevação, clima tranquilo e harmônico, objetivos sérios e se evitar a presença de pessoas incrédulas.

Embora na maioria das vezes as comunicações sejam passíveis de identificação total ou, ao menos, de que os agentes ativos são mesmo espíritos desencarnados, o fato é que em várias outras, a análise parece conter evidências de que pode haver também manifestações de seres extraterrestres. Foi o que aconteceu com a americana Sarah Estep, apesar dele se considerar uma pessoa cética a respeito.

“Contatos interdimensionais”, 240 páginas, lançado em 1999 pela Editora O Pensamento, ainda reserva outra ótima surpresa: acompanha um Cd com aproximadamente 45 minutos de duração, reproduzindo dezenas de gravações realizadas pela pesquisadora. É para ouvir, refletir, ler – ou reler o livro – e tirar as próprias conclusões.

Além deste, Sonia Rinaldi possui pelo menos mais seis livros sobre Transcomunicação Instrumental. Independente de desejarmos ou não fazer experiências pessoais, vale a leitura de cada um deles. Revelações, curiosidades, informações surpreendentes e uma certeza: é, sim, possível, comprovar a sobrevivência da alma, falar com eles, consolar-se, da mesma forma que fazemos através de uma sessão mediúnica comum. 

A diferença é que usando os métodos eletrônicos, com todo o rigor científico, excluindo-se a maior parte das objeções levantadas pelo caráter de subjetividade encontrada nos centros espíritas que têm finalidades próprias, pode-se mais rapidamente obter a chancela da ciência oficial para os fenômenos espíritas em geral e seus princípios. E isso é de interesse de toda a Humanidade, como já entendia o Codificador, ou seja, o combate ao materialismo deve ser a meta maior do Espiritismo.

 

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2019 / Desenvolvido por Leandro Corso