ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 111ª edição | 09 de 2015.

Autorretrato

Sai o “ADE-PR Informativo”, entra o “Comunica Ação Espírita”; há 10 anos o livro Alteridade,a diferença que soma; Espiritismo e Economia e o 10° aniversário da ADE-PR.

A edição n° 52 – último bimestre de 2005 - do órgão oficial da ADE-PR foi um marco. Nascia, propriamente o Comunica Ação Espírita, em cores e com 12 páginas. Além dos resumos de todas as matérias da edição, a capa noticiou (com foto), o lançamento do livro Alteridade, a diferença que soma, no dia 12 de outubro, em Recife. Publicação em parceria da Abrade – Associação Brasileira de Divulgadores do Espiritismo e Editora INEDE, reúne oito trabalhos de autores diferentes abordando temas como educação, pluralidade cultural e étnica, política e pensamento democrático, produção de conhecimento no Movimento Espírita, alteridade nas organizações humanas, justiça social e arte e outros.

Na página 2, como não podia deixar de ser, o Editorial tratou do importante salto de qualidade alcançado pelo próprio periódico, anunciando algumas seções novas como “Por que saber”, “Divulgar com Eficiência” e “Revista Espírita” que, ao longo de duas dezenas de artigos, procurou sintetizar a tão pouco conhecida entre os espíritas Revista Espírita, de Allan Kardec. A campanha da ADE-PR pelo aumento dos doadores de órgãos para transplantes também foi notícia nesta página, inclusive, mencionando o interesse de outros estados em replicar a mesma.

Na página 3, as comemorações dos 100 anos do jornal “O Clarim”, de Matão-SP, fundado por Cairbar Schutel, isso em 15 de agosto. A matéria lembrou que o trabalho pioneiro do denominado “Bandeirante do Espiritismo” sempre inspirou a ADE-PR, culminando com a escolha de seu nome para patrono da instituição, a partir de 2001.

Estreando na página 4, a seção “Por que saber” analisou algumas das conexões existentes entre o Espiritismo e a Economia. Lembrou o interesse do Codificador pelo assunto, por exemplo, ao inquirir os Espíritos na obra basilar nas questões 716/717, 795, 815/816, 922, 923/926, 930/931, bem como no “Evangelho Segundo o Espiritismo”, no capítulo XVI. Provas da riqueza e da miséria, necessário e supérfluo, justiça divina, lei de causa e efeito, a entrada dos ricos no céu, etc são temas relacionados à área econômica.

O objetivo do tópico era demonstrar a necessidade dos espíritas, especialmente palestrantes, coordenadores de estudos e divulgadores em geral, de buscar adquirir, ao menos algumas noções econômicas, ampliando seus horizontes, para poder transmitir com mais segurança assuntos como uso e posse da riqueza, igualdade social, política, existência de favelas, etc. 

Na página 5, o assunto foi a “Revista Espírita”, de Kardec, 1° semestre de 1858. No boxe um destaque do mês de abril quando o editor abordou as manifestações espíritas entre os druidas. Na edição de fevereiro a passagem do médium Daniel Douglas Hume pela França, então sob falsa acusação de prestidigitação. De março, ensinamentos de São Luis sobre destino, fatalidade e pressentimentos. Hume voltou a ser mencionado em junho pelo fenômeno de levitação.

Em outubro de 2005 a ADE-PR havia completado 10 anos de fundação, razão pela qual, as páginas centrais foram dedicadas a uma retrospectiva, desde os primeiros contatos visando a sua criação em fevereiro daquele ano, e realçando todos os principais eventos que marcaram a sua curta história até então.

As Feiras e o Clube do Livro, o Disk Espiritismo, fóruns e seminários, o CONBRADE, em Olinda-PE em 1997, a importante reunião da Abrade em Cuiabá, no início do ano seguinte, a mudança de sede para a Comunhão Espírita Cristã de Curitiba, a inauguração da homepage na internet em agosto de 2000 e o lançamento do livro “A Eficiência na Comunicação Espírita”, no ano seguinte, além das campanhas de apoio à leitura e assinaturas de jornais espíritas e pela doação de órgãos.

Na página 8, dois textos, um de Carmem Paiva de Barros – “O aborto e seus equívocos” e outro de Wilson Garcia – “Uma tarde de sábado”. Na seguinte, “Resenha Crítica”, de Y. Shimizu, sobre o livro A mente move a matéria, de Hernani Guimarães Andrade. 

Na página 11, a outra seção estreante, “Divulgar com Eficiência” que colocou as diretrizes básicas para implantação e bom funcionamento de uma biblioteca espírita, incluindo jornais e revistas. A propósito, o texto tocava num problema até hoje observado em muitos centros espíritas que é o do boicote à livre circulação dos periódicos recebidos gratuitamente e, às vezes, às custas de muitos sacrifícios por parte daqueles que se dedicam à tarefa da divulgação doutrinária.

Transcrevemos um parágrafo. Por negligência ou temor de os frequentadores tomarem contato com a diversidade de opiniões, exercendo uma censura nada sutil, privam o acesso e lesam o leitor em potencial naquilo que possuem de mais precioso que é o seu livre-arbítrio. Engavetando jornais quando nos os remetendo diretamente para o cesto de lixo, omitem deliberadamente a informação até mesmo aos colaboradores e seus pares de diretoria, tudo por ignorância... Os centros espíritas devem incentivar a leitura dos periódicos, não só os disponibilizando nas bibliotecas, como criando extensões através de salas de leitura e divulgando, estimulando e facilitando suas assinaturas. Se forem de boa qualidade, servirão para complementar e sedimentar os conhecimentos transmitidos com segurança no âmbito interno. Se não o forem, o leitor saberá reconhecer e a rejeição será consequência natural.

E a última página, matéria assinada por Wilson Czerski sob título “A teoria das almas gêmeas”, aproveitando que à época, duas telenovelas estavam no ar tratando de assuntos relativos ao Espiritismo: “América” e justamente “Almas Gêmeas”.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2020 / Desenvolvido por Leandro Corso