ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 66ª edição | 03 de 2008.

Há 150 anos surgia o primeiro centro espírita do mundo

  • Allan Kardec, fundou a SPEE em 01/04/1858 e desencarnou em 31/03/1869. Allan Kardec, fundou a SPEE em 01/04/1858 e desencarnou em 31/03/1869.

Durante os 14 anos que o professor Rivail, agora sob pseudônimo de Allan Kardec, pôde dedicar ao Espiritismo, fê-lo de modo incansável, sem se deter diante das mais diversas dificuldades que lhe surgiram no caminho. Falta de recursos financeiros, maior número de colaboradores humanos, perseguições do clero, da imprensa, de pseudo e verdadeiros cientistas, nada foi capaz de abalar a sua determinação para levar a termo a missão que abraçara.

Na edição passada comentamos sobre os 150 anos de lançamento da Revista Espírita, fato que se deu no primeiro dia de 1858. Exatamente quatro meses depois, passou a funcionar oficialmente a Société Parisienne des Études Spirites. Segundo Enrique Eliseo Baldovino, em artigo da Revista Internacional de Espiritismo deste mês de março, na verdade, o grupo que deu origem à SPEE já se reunia informalmente há seis meses, às terças-feiras, em recinto anexo à residência do Codificador, à rua dos Mártires, nº 8, com a denominação de Círculo Parisiense de Estudos Espíritas.

Com a autorização legal de funcionamento, a Sociedade mudou para a rua de Valois, 35 ? Palais Royal, Paris e em 20 de abril de 1860 para a Saint Anne, 59. Era freqüentada por pessoas de todas as classes sociais, níveis de instrução e religiões até porque, como o movimento espírita estava no início, poucas pessoas declaravam-se espiritistas. O próprio Allan Kardec não via inconvenientes que uma pessoa pertencente a qualquer credo adotasse os princípios espíritas. Ele próprio definira o Espiritismo como uma ciência experimental e doutrina filosófica de conseqüências morais.

Acorriam ali cientistas, profissionais liberais, magistrados, médicos, escritores, artistas, militares de altas patentes, professores, membros da nobreza estrangeira, mas também artesãos e operários. Desde que não fosse por simples curiosidade ou claras intenções de causar perturbação, a Sociedade era franqueada a qualquer pessoa, atraídas que eram pelos fenômenos e idéias que despertavam a atenção da sociedade francesa e norte-americana e que também se espalhavam pelos demais continentes. Cerca de 1500 pessoas compareciam às reuniões a cada ano.

Sendo assim, a SPEE constituiu-se no primeiro centro espírita do mundo e contribuiu decisivamente, junto com os livros da lavra de Kardec, a Revista e as correspondências mantidas com vários países, para a irradiação dos princípios do Espiritismo nascente. Ali estava o verdadeiro laboratório de experimentação e diálogo com espíritos despojados do corpo material das mais diversas estirpes e de cada um deles o ilustre lionês recolhia as preciosas informações, analisava, tirava as conclusões baseadas nos fatos e na razão e, pouco a pouco, entregava o conhecimento a todos os aprendizes sinceros, despidos do preconceito para derrubar dogmas, vencer o fanatismo, dissolver o misticismo e as superstições.

Cento e cinqüenta anos depois, o trabalho hercúleo de Allan Kardec, diretamente orientado pelos Espíritos Superiores, frutificou a "cem grãos por um", conforme expressão do Evangelho. Só em nosso país são cerca de 8.000 centros espíritas e 20 milhões entre adeptos e simpatizantes, mais de 50% da população acredita na reencarnação, na mediunidade, em curas espirituais e possui um das mais vigorosos gêneros literários, com 120 editoras, 4.000 títulos - 250 lançamentos a cada ano-, seis milhões de exemplares vendidos anualmente e total de 130 milhões, sendo que só de Kardec já são 15 milhões.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2017 / Desenvolvido por Leandro Corso