ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 121ª edição | 08 de 2017.

Autorretrato

A nossa edição nº 62 (julho-agosto/2007) em seu Editorial fez um alerta e uma crítica aos espíritas que, então, começaram a receber com aplausos a teoria das crianças-índigo, contidas em livros publicados no exterior por membros fundadores de uma seita que diziam obter “canalizações” com um extraterrestre.

Encontros públicos remunerados, comercialização de filmes, bijuterias, souveniers e, claro, o livro transformado em bestseller. Não vale a pena reproduzir detalhes com outras ideias esdrúxulas defendidas pelos patrocinadores de tais aproveitadores, mas o fato é que, de repente, muita gente por aqui começou a gostar da fantasia e justificar comportamentos de rebeldia de seus adolescentes como uma inadaptação de seus espíritos a um mundo ansioso por grandes transformações. Insubmissão contra a ordem e autoridade, dificuldades de relacionamento, agressividade, um quadro de “Desordem Hiperativa de Déficit de Atenção”, eis o perfil dos espíritos supostamente evoluídos de aura violácea. 

Não satisfeitos, logo vieram também as “crianças-cristal”, de índole superior àquelas, “silenciosas, observadoras, responsáveis”, segundo um famoso médium brasileiro que também aproveitou e escreveu um livro sobre o assunto.

Felizmente, atualmente, tais ideias, por desacreditadas, estão praticamente esquecidas, como tantos outros modismos.

Na pagina 5, seção “Atualidades”, o tópico abordado por Luis de Almeida, de Portugal, foi A Astrofísica e o espírito. A Teoria-M, segundo o texto, vinha ao encontro da ideia da partícula divina consciencial no final da escala subatômica. Supercordas, Deus como ‘agente estruturador do universo’ e Herculano Pires afirmando que “(...) o desenvolvimento da ciência se processa na direção dos princípios espíritas”. Para isso basta olhar algumas questões de “O Livro dos Espíritos” como as de nº 30,79, 64, e 7. 

Seguindo a mesma linha temática, na página seguinte, Cristina Tavares da Rocha escreveu sobre o trabalho de Ian Stevenson, desencarnado no mês de fevereiro daquele ano, aos 88 anos de idade e de Hernani Guimarães Andrade, também então já desencarnado, em 2003, um ano mais velho. 

Stevenson foi um desbravador das pesquisas de campo sobre a reencarnação, iniciado com “Vinte casos sugestivos de reencarnação”, publicado em 1966. Já Hernani inspirou-se no trabalho dele e deixou uma ampla bibliografia não somente sobre este assunto, como de outros aspectos científicos do Espiritismo. “Reencarnação no Brasil” foi o livro mais impactante do estudioso brasileiro.

Na página 8, seção “Divulgar com Eficiência”, foi desenvolvida a parte final do tópico Cube do Livro Espírita, um excelente resumo a todas as instituições desejosas de implantar um serviço destes em suas atividades. Os subtópicos tratados foram: escolha das editoras/distribuidoras; prazo de entrega; recebimento, conferência e preparação dos livros; embalagem e etiquetagem; distribuição; pagamento; relatórios de controle; instalações, pesquisas, campanhas para aumento de associados e observações finais.

Crianças-índigo e cristal, modismo até de espíritas famosos; o trabalho de Ian Stevenson e Hernani G. Andrade; a esposa viva de Dellane psicografa;fotografias transcendentais e o destino das almas dos animais 

Todo o trabalho embasou-se no livro “A eficiência na comunicação espírita”, resultado do trabalho da equipe da ADE-PR. Registre-se que o Clube do Livro Espírita de Curitiba funciona desde antes e ainda hoje, oportunizando que centenas (atualmente seu número está bem reduzido) de pessoas recebam em seu domicílio livros espíritas de qualidade, desde os lançamentos e por preço abaixo do normalmente encontrados nas livrarias.

Noções de Psicologia contribuem na eficiência da prática espírita, esse foi o título do texto da página 9, na seção “Por que saber?”. Dentre elas foram abordados: Relações interpessoais entre a equipe diretiva da instituição, destes com os demais colaboradores e do seu conjunto com os frequentadores; atendimento fraterno; nos serviços de assistência e promoção social; cursos de evangelização ou educação infanto-juvenil; nas reuniões mediúnicas.

Dividindo a página com este assunto, em “Resenha Literária”, duas obras póstumas de Chico Xavier: Sementeiras de Luz e Mensagens de Inês de Castro.

Na página 10, seção “A Revista Espírita de Kardec”, em foco o primeiro semestre do ano de 1863. No mês de janeiro a Revue, entre outros assuntos, relata que Alexandre Dellane, pai de Gabriel, escrevera uma carta a Kardec relatando a experiência de, em viagem, ter evocado o espírito da própria esposa, encarnada, que ficara em Paris. Pela psicografia ela havia fornecido diversos detalhes comprobatórios de sua presença junto ao marido como o fato de que uma parenta dormia em sua casa com ela, descreveu os móveis que cercavam o marido e mencionou o som do pêndulo de um relógio.

Em “VOCÊ SABIA?”, página 11, uma curiosidade sobre as fotografias transcendentais (mediúnicas ou anímicas) iniciadas em 1890 e comentadas por Ernesto Bozzano, em “Animismo e Espiritismo”. Jorge Andréa, reverenciado nesta edição em “Traços Biográficos”, desencarnado em fevereiro, teve na edição 62 uma menção sobre o livro “Dinâmica Psi”. O assunto: as almas dos animais (ou princípios espirituais), logo após desencarnar, por não possuir consciência, são atraídos de imediato para junto dos de sua espécie. Processo semelhante ocorre com as almas humanas primitivas, embora guiados por outros que lhes são superiores.

Também ilustramos com Andrew Jackson Davies que, sem instrução e aprendiz de sapateiro, diagnosticava doenças pela clarividência e operava curas além de produzir textos extraordinários quando em transe. Teria profetizado a invenção do automóvel, da máquina de escrever e a navegação aérea.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2017 / Desenvolvido por Leandro Corso