ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 131ª edição | 01 de 2019.

Traços Biográficos

A vidente búlgara

Parece que agora estão fora de moda as previsões no final de um ano para o seguinte. Talvez porque as pessoas tenham se cansado de serem enganadas, pois a maioria dessas ‘leituras do futuro’ ou eram tão genéricas ou previsíveis sem o uso de qualquer dom especial ou falhavam completamente.

Entretanto, bem sabemos que a possibilidade de descrever acontecimentos futuros existe realmente e, tanto no passado como no presente, pessoas altamente gabaritadas nessa área chamaram a atenção às vezes de milhares de pessoas, bem como da mídia e dos estudiosos.

As faculdades da vidência e da clarividência ou dupla-vista como denominava Allan Kardec são reservadas para poucas pessoas e, especialmente, quando estão ligadas ao futuro, assumindo a característica de profecia, mais desconfianças geram.

Vamos ver aqui um desses casos que não deixam dúvidas sobre a capacidade de alguém ser capaz de ver não só passado ou o presente, mas também o futuro. O resumo foi tirado de matéria do portal UOL de 24 de agosto de 2018 assinada por Christopher Nehring.

O nome da médium ou sensitiva como muitos preferem, era Baba Vanga, uma búlgara humilde que teve as primeiras visões na adolescência e tornou-se famosa internacionalmente ao acertar premonições sobre a II Guerra Mundial, a desintegração da União Soviética e os ataques terroristas de 11de setembro nos estados Unidos. Ela também profetizou que certo político, à época, sem qualquer proeminência, seria eleito presidente de seu país em 1997.

Vanga nasceu na atual Macedônia e em 1911 ficou gravemente ferida na passagem de um furacão. Cinco anos depois perdeu a visão, consequência dos ferimentos, porém foi aí que ela passou a ver por outra via que não a usual. Então, aqui, nós temos um caso clássico de vidência onde o médium ou sensitivo realmente enxerga somente por meio extrassensorial enquanto o clarividente vê com auxílio dos órgãos da visão.

Suas visões eram marcadas por imagens de teor místico da igreja ortodoxa e após a ascensão do comunismo na Bulgária, Vanga praticamente foi impedida de atender as pessoas que a procuravam. Após 1960 a pressão sobre ela diminuiu e tornou-se protegida da esposa de uma alta autoridade do Partido Comunista que até criou um instituto para pesquisar o seu dom e de outros videntes. Segundo levantamento ela tinha 80% de acertos em suas previsões.

No final dos anos de 1970, Baba Vanga recebeu autorização para gravar documentários na TV sobre as suas sessões e foram muitos. Quando morreu, em 1996, Vangelia Pandeva Dimitrova, seu verdadeiro nome, era um fenômeno da mídia. Completamente envolvida com o misticismo cristão, ela financiou a construção de uma igreja ortodoxa e, a seu pedido, sua casa foi transformada em museu.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2019 / Desenvolvido por Leandro Corso