ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Artigos

Abusos sexuais e os religiosos

Publicada em 21/04/2019, por Wilson Czerski

Mais uma vez verificamos a sabedoria do Cristo quando, diante da multidão que ameaçava lapidar uma mulher apanhada em adultério, desafiou para quem estivesse sem pecado que atirasse a primeira pedra. Se quisermos trazer mais para o nosso terra-a-terra, há o ditado popular dizendo que é fácil ser pedra; difícil é ser vidraça.

Coloco isso para pautar aqui o problema dos abusos sexuais cometidos por religiosos. A Igreja Católica está às voltas com o problema de pedofilia e outras violências praticadas, inclusive, por padres e até membros mais elevados na hierarquia eclesiástica.

No mês passado o papa Francisco convocou uma reunião extraordinária com bispos do mundo inteiro para discutir os escândalos que abalam a Igreja e isso já há algumas décadas. O próprio chefe máximo da instituição reconheceu que esse é o maior desafio de seu pontificado.

Muito se pode falar a respeito, mas todo mundo já sabe. Os órgãos regulares da mídia já trataram de denunciar repetidamente a situação, repercutindo até depoimentos de vítimas. Portanto, não vamos adentrar a estes comentários.

Também não é incomum esse tipo de denúncia envolvendo pastores. Para ficar somente num caso, a atual ministra da Família, da Mulher e dos Direitos Humanos, Damares Alves, já admitiu ter sido abusada por dois deles na infância.

Se fôssemos mal intencionados estaríamos aqui ou no nosso jornal Comunica Ação Espírita (vide as edições nesse site, disponível para donwload em PDF) ou, ainda, no programa de TV Diálogo Espírita divulgando e tirando proveito do incêndio na casa do vizinho.

Felizmente, não só nós, mas qualquer espírita verdadeiro jamais exploraria fatos dessa natureza somente motivados pela intenção de denegrir, atingir quem quer que fosse. Essa é ética espírita. Respeitar o próximo individual e coletivamente. Temos o dever de cuidar de nossos próprios problemas e deficiências. O que acontece no âmbito das demais organizações religiosas não é problema nosso.

Isso não significa omissão diante do mal que eventualmente esteja afetando a sociedade. Prova disso está em O Livro dos Espíritos, na questão 903: Incorre em culpa o homem, por estudar os defeitos alheios?

Resposta: Incorrerá em grande culpa, se o fizer para os criticar e divulgar, porque será faltar com a caridade. Se o fizer, para tirar daí proveito, para evitá-los, tal estudo poderá ser-lhe de alguma utilidade... Antes de censurardes as imperfeições dos outros, vede se de vós não poderão dizer o mesmo...

Por isso, sem nunca antes ter tratado diretamente do tema “abusos sexuais de religiosos” no programa de TV Diálogo Espírita, quando o fizemos foi para analisar as ocorrências envolvendo dois médiuns, embora só um deles espírita.

Melhor exercer a autocrítica do que apontar o dedo acusatório em direção aos outros e depois ter que admitir que, em algum momento, todos podemos ser vidraça e ter que sair de fininho ao ouvir o “quem nunca errou, atire a primeira pedra”.

Últimas Pautas

Veja também pautas publicadas anteriormente.

ADE-PR © 2019 / Desenvolvido por Leandro Corso