ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 131ª edição | 01 de 2019.

Perguntas & Respostas

Por Wilson Czerski

Podemos dizer que uma pessoa surda-muda está recebendo o seu carma? Não, não podemos. Não podemos afirmar nada. A resposta vale para outras perguntas similares, abrangendo não somente enfermidades congênitas ou adquiridas, mas também todo tipo de experiência dolorosa pela qual um indivíduo esteja passando.

Agora, há vários aspectos e nuances que precisam ser considerados. Talvez um primeiro deles seja o de que a situação torna-se diferente quando a informação tiver como origem numa mensagem mediúnica confiável. 

A literatura espírita apresenta centenas de relatos de situações em que há uma conexão direta entre atos morais inadequados de vidas passadas e problemas diversos dessa natureza agora no presente. Às vezes, não passam de pura ficção de autores encarnados ou desencarnados, baseada nas leis da reencarnação e de causa e efeito.

Outras obras apresentam opiniões deste ou daquele mentor formalizadas em gêneros que pretendem descrever vivências reais e o número desses relatos é tão grande que somos quase obrigados a aceitar como uma verdade definitiva e absoluta, coisa que não é.

Generalizar ou padronizar respostas nesse assunto é leviano e perigoso. Cada caso é um caso. E o que podemos afirmar com certeza é que, em primeiro lugar, nada acontece por acaso; tudo tem uma finalidade; não é azar ou injustiça divina. E, em segundo, que enfermidades, deficiências físicas ou mentais, tanto quanto quaisquer outras dificuldades na vida, os sofrimentos em geral, também não são castigos de Deus, mas PODEM, sim, em muitos casos representar expiações de erros cometidos em vidas passadas.

É a vigência da lei de causa e efeito da qual nenhum ato nosso escapa; o já conhecido “a semeadura é livre, mas a colheita e obrigatória”. Em um momento ou outro, na encarnação presente ou em alguma futura, arcaremos com as consequências de nossos atos. Mas é bom lembrar que o mal ou os erros não são pagos exclusivamente pela dor, mas também pelo amor que anula os efeitos negativos da primeira ação.

Porém, de outras vezes são PROVAÇÕES oferecidas ou solicitadas ao espírito antes de reencarnar como forma de enriquecer a sua vida espiritualmente, apressar o seu progresso, sua evolução.

Então, temos que ter muito cuidado quando olhamos para uma pessoa nessa situação e já ir especulando sobre as possíveis causas. Além do mais, ainda que seja verdadeiro e digamos que a nossa percepção mediúnica permita fazer esse diagnóstico, não é nada caridoso apontar para alguém e dizer que ela fez ou deixou de fazer isso ou aquilo em uma vida passada e por isso agora está sofrendo.

Esse tipo de informação só é útil divulgar quando pode servir de esclarecimento e consolo à própria pessoa ou seus familiares, motivo para resignação e cultivo da paciência, e da manutenção da fé em Deus.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2019 / Desenvolvido por Leandro Corso