ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 93ª edição | 09 de 2012.

O que dizem os outros jornais

Comprovadas as propriedades da água magnetizada

     Em artigo da Revista Internacional de Espiritismo - oclarim@oclarim.com.br (julho - 2012, Matão – SP), José Luiz Condotta (jlcondotta@splicenet.com.br) traz informações, talvez não tão novas assim, mas que, mesmo assim, são desconhecidas do grande público sobre os estudos científicos acerca da água magnetizada ou fluidificada como se denomina nos ambientes espíritas.

     Por exemplo, Hernani Guimarães Andrade, já desencarnado, relatou em artigo de jornal em 1933 que o pesquisador americano Dr. Brame fez durante dois anos extensos estudos espectroscópicos com amostras de água destilada submetida à imposição de mãos de médiuns. O resultado apontou para mudanças moleculares. O mesmo efeito foi obtido tendo apenas um grupo de pessoas se concentrado durante uma sessão espírita sem imposição das mãos.

     George Meek, em As curas paranormais, narra pesquisa de Bernard Grad o qual, através da espectroscopia com infravermelho, observou significativas alterações no ângulo de ligação atômica e uma diminuição da tensão superficial do líquido.

     Ainda sem comprovação científica terrena, sabe-se que a água fluidificada pode provocar os seguintes efeitos: inibir a formação de radicais livres; aumentar a produção de linfócitos e, por consequência, as defesas orgânicas; melhorar a osmose na membrana celular; eliminar os íons em excesso, prejudiciais à saúde; renovar a energia perispiritual.

Evidências científicas também sobre a vida após a morte

     A mesma edição da RIE publicou texto de Mado Martinez e Elaine Vieira (madomartinez@mac.com) abordando pesquisas sobre a vida após a morte. Primeiro citam o estudo feito no Brasil em 1991 por Paulo Rossi, enfocando a obra a mediúnica de Chico Xavier. O estudo revelou que 93,4% das pessoas que visitavam o médium não o conheciam; 62,2% das mensagens traziam mais de seis fatos reais cada uma; 71,1% continham informações detalhadas sobre pessoas desencarnadas, posteriormente confirmadas como verdadeiras por familiares.

     O médico Sérgio Felipe de Oliveira, da USP, usa técnicas de difração de raios X, tomografia computadorizada e ressonância magnética para explicar a relação entre a glândula pineal e a mediunidade. No King’s College de Londres o pesquisador Peter Fenwick faz experimentos sobre as EQMs ou Experiências de Quase Morte. Ele estuda as visões de pessoas que estão internadas e que falam com parentes já falecidos, bem como os contatos espontâneos feitos por espíritos desencarnados avisando de sua passagem.

     O Dr. Kenneth Ring, da Universidade de Connecticut, e Sharon Cooper, da de Nova York, estudaram por dois anos as EQMs em deficientes visuais, comprovando que 31 pessoas cegas que haviam passado por uma EQM, tinham tido a felicidade de ver pela primeira vez, dando detalhes dos procedimentos médicos na sala cirúrgica.

     O médico oncologista Jeffrey Long recolheu 2500 casos em todo o mundo de pessoas que tiveram EQM. Já o Dr. Jim Trucker, diretor da Clínica Psiquiátrica Child and Family, da Universidade de Virgínia, prossegue as pesquisas iniciadas por Ian Stevenson morto em 2007, reafirma que tais relatos, juntamente com a comunicação através de médiuns, são as provas mais importantes da sobrevivência da alma.

Sexo e Obsessão

     Ainda da mesma RIE, porém, edição do mês de setembro deste ano, pinçamos a matéria com o título acima de autoria de Fausto Fabiano da Silva (faustofabianodasilva@yahoo.com.br). Abre o artigo citando O Livro dos Médiuns, capítulo XXIII, que define o processo obsessivo como o “domínio que alguns espíritos logram adquirir sobre certas pessoas... praticada pelos Espíritos inferiores”. As causas são várias, entre elas a vingança por desavenças ocorridas em vidas passadas ou simplesmente pela propensão à maldade.

     Mais adiante o articulista menciona o chamado vampirismo onde entidades que mantinham certos vícios como o fumo e o álcool, são atraídas ao convívio psíquico – e neste caso, praticamente físico também – para usufruir junto aos encarnados que alimentam os mesmos gostos, as emanações daquelas substâncias. De O Céu e o Inferno, também de Kardec, ele extrai: “atiram-se para a Terra quais abutres, procurando entre os homens uma alma que lhes dê fácil acesso às tentações”. Tal ocorrência é corroborada por Herculano Pires (Vampirismo): “Essa perigosa sociedade se prolonga às vezes por toda uma vida...”.

     Uma outra “fonte” das obsessões é o sexo. Do livro Sexo e Destino, de André Luiz/Francisco Cândido Xavier, recolhe-se o seguinte trecho: “Enrodilhavam-se os dois (o encarnado e o desencarnado) num charco mental de lascívia, com tamanha sofreguidão... naquele vulcão de apetites sexuais...”.  

     Mais à frente, Fausto Fabiano recorda a questão 637 de O Livro dos Espíritos: “Aquele que se deixa dominar pelas más paixões, e põe todas as suas alegrias na satisfação dos apetites grosseiros, se aproxima dos espíritos impuros, dando preponderância à sua natureza animal”.

 

Respostas ao Teste da pág. 3: 1 - B;  2 – C;  3 - B

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2021 / Desenvolvido por Leandro Corso