ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 69ª edição | 09 de 2008.

Auto-retrato: Um resumo do 3º Simpósio de Comunicação Social Espírita da ADE-SP

Em destaque os programas de rádio e o projeto ORAR; um ano crítico na vida da novíssima ADE-PR; os comportamentos permissivos dos jovens e os 80% de brasileiros que admitiam a manifestação dos espíritos junto “aos vivos”.

Detalhes do 3º Simpósio de Comunicação Social Espírita, promoção da ADE-SP, realizado em setembro de 1998, ocuparam a primeira página do ADE-PR Informativo nº 10, correspondente ao bimestre novembro-dezembro daquele ano.

Informou-nos, por exemplo, que a conferência de abertura coube a César Perri de Carvalho que falou sobre “Os dois pólos da Comunicação Espírita – Mediunidade e Mídias”. Referiu-se, no primeiro tipo, ao intercâmbio estabelecido entre desencarnados e encarnados, por iniciativa daqueles, que originou a sistematização da Doutrina Espírita. No segundo, tratou da difusão desses conhecimentos, acrescidos pelos adquiridos mediante o trabalho dos encarnados e novos princípios a estes revelados, à sociedade, pelos meios usuais de comunicação.

O viés cultural da comunicação espírita, a dramaturgia a serviço da casa e da “causa” espírita, o jornalismo e características de edição, qualidade e conteúdo do livro espírita foram apresentados no dia seguinte. Especificamente sobre jornal, Eduardo Fernandes sugeriu os seguintes questionamentos aos editores: para que e como é ou será feito?; qual o seu público-alvo?; como é visto pelo leitor (desinteressante e supérfluo?); como agregar mais qualidade?

Éder Favaro discorreu sobre programas radiofônicos espíritas, enfatizando a necessidade de adequação de conteúdo, linguagem, espaço, horário e diversificação de formatação com informativos, debates, exposições, músicas, frases, etc.

Produção de vídeos, internet, Tv e comunicação interna nos centros espíritas foram os outros temas desenvolvidos no simpósio, destacando-se Alkíndar de Oliveira com o projeto ORAR – Ousadia na divulgação; Respeito às demais religiões; Administração eficaz e Relacionamento harmonioso.

O Editorial daquela edição do nosso periódico fez um balanço das atividades desenvolvidas pela ADE-PR durante o ano que se findava. Citou algumas ações externas como as duas Feiras do Livro, a circulação do próprio Informativo, a participação na elaboração do Planejamento Estratégico da Abrade, em Cuiabá, e a distribuição da apostila sobre Clube do Livro Espírita.

Porém, o principal resultado foi no âmbito interno com a superação de grave crise financeira que obrigou a direção a cortar gastos administrativos e buscar fontes alternativas de receitas. “A ADE-PR amadureceu muito neste ano – dizia a certa altura -, suportou duras turbulências, fortaleceu-se...” E mais à frente: “Modernizar a administração, racionalizar custos, ter os pés no chão, é imprescindível. Mas uma boa dose de fé também ajuda. As tempestades, a despeito da violência com que se abatem, causando danos diversos, saneiam a atmosfera e ensinam-nos a virtude da previdência. As lições das tormentas morais proporcionam a motivação para o cultivo da tenacidade, o desenvolvimento criativo do intelecto e a sublimação dos sentimentos pelo espírito de fraternidade legítima que deve ser a nossa bandeira maior.”

Walter Baruffi, à página 03, escreveu sobre moral e educação dos jovens. Vale a pena recordar alguns comportamentos por ele apontados. Uso de palavrório de baixo calão em lugares públicos sem se importar com a presença de senhoras e crianças; o vício do fumo por adolescentes; a facilidade para o consumo de bebidas alcoólicas, a atividade sexual irresponsável; a desconsideração no transporte coletivo para com idosos, gestantes e senhoras com crianças de colo que estão sem lugar para sentar; a poluição sonora produzida por aparelhos musicais em casas e automóveis; a violência dos assaltos e roubos praticados por menores.

A edição fechou com os comentários de Y. Shimizu sobre o Anuário Espírita, edição 1999. Lembrou que tal publicação se faz desde 1963 pelo IDE – Instituto de Difusão Espírita, de Araras-SP, apresentando registros dos “principais fatos e iniciativas, direta ou indiretamente, relacionados com o Espiritismo”.

Da seção “Notícias que merecem destaque”, o resenhista pinçou uma pesquisa de opinião feita pelo Globo Repórter, programa de 24/04/1999, que apontou que 80,2% da população brasileira acreditava na manifestação dos espíritos.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2021 / Desenvolvido por Leandro Corso