ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 73ª edição | 05 de 2009.

Depressão, doença da alma

As estatísticas assinalam que a depressão atinge cerca de 15 a 20% da população mundial e é cada vez mais constatada em todo o mundo, em todas as camadas sociais.

Assim, torna-se deveras oportuna a publicação do livro “Depressão, doença da alma”, de autoria do professor Francisco Cajazeiras, pela Editora Eme, de Capivari-SP, com 208 páginas.

Consoante o autor, “a doença depressiva deve ser entendida como um estado mórbido do tipo transtorno afetivo, caracterizado por humor deprimido que se mantém por longo período, em reação desproporcional à esperada ante um acontecimento psicossocial ou, às vezes, sem causa aparente; e que se reflete negativamente na vida do enfermo, comprometendo-lhe a qualidade de vida”.

Ele discorre, na segunda parte, sobre os aspectos científicos dessa doença, abordando as possíveis causas (biológicas, psicológicas, socioculturais e espirituais), o seu diagnóstico, detalhando aí o quadro clínico (sintomas e sinais), situações clínicas especiais, as diferentes apresentações (como nos casos de episódios depressivos, de transtorno depressivo recorrente, de transtorno afetivo bipolar e de transtorno persistente do humor e de depressões atípicas).

Após discorrer sobre as causas mais habituais para a ocorrência da depressão, como as decorrentes de desatinos de teor profissional, de desarmonias conjugais, de conflitos entre pais e filhos explana, com muita clareza as causas espirituais da depressão. Ele aborda dentre os fatores etiológicos anímicos: a imaturidade anímica, a incapacidade de gerenciar os próprios sentimentos, comportamentos equivocados que resultam no desenvolvimento de hábitos nocivos e viciações, descompromisso e invigilância, distanciamento da missão pessoal por acomodação nas coisas mundanas e, finalmente, ecos e ressonâncias das distonias e desequilíbrios de vidas passadas.

O autor passa, então, a focalizar os fatores exógenos, tais como: contaminação fluídica pelo contato demorado com pacientes deprimidos, assédio espiritual de entidades que buscam incutir a desesperança, o pessimismo e o desalento; o vampirismo, com espoliação parasitária de energias espirituais e vitais; processos obsessivos provocados por espíritos inimigos em tarefas de agressão e de vingança. Ele mostra, então, como efetuar um diagnóstico diferencial entre a doença depressiva e a obsessão espiritual.

Desenvolve, na parte final do livro, os processos de cura da depressão, explicitando os processos adotados pela medicina convencional (pelo uso de medicamentos, pela eletro convulsoterapia, psicoterapia, para, enfim, mostrar os métodos adotados pela terapia espírita.

Francisco Cajazeiras é cearense de nascimento, graduado em medicina e especialista em cirurgia geral. Ao lado da profissão médica na capital cearense, é professor na Universidade de Fortaleza (Unifor) e nas Faculdades Integradas do Ceará (Fic). Atuante no movimento espírita cearense, é fundador do Instituto de Cultura Espírita do Ceará, foi vice-presidente da Federação Espírita do seu estado e presidente da Associação Médico-Espírita do Ceará. É autor de 9 livros, dentre os quais citam-se: “Eutanásia – enfoque espírita”,“Elementos de teologia /espírita”, “Existe vida...depois do casamento?”, “Bioética – uma contribuição espírita”, “Conselhos de saúde espiritual” e “Valor terapêutico do perdão”.

Um mal necessário Zélia Carneiro Baruffi

Aquele momento em que a humanidade se transformará iniciou-se há muito. Nossas almas ainda não se aperceberam de que tudo que vem acontecendo é o ciclo natural do planeta. Tantos vendavais... terremotos... São os resgates das almas que ainda encontram-se na mais pura lama, sem consciência do que é o bem.

Há poucos dias tivemos notícia de mais uma tragédia, entre tantas, dessas que acontecem no mundo terreno. É necessário que isto aconteça para a evolução do ser humano. São as dívidas acumuladas durante um período de grande maldade. As criaturas movidas por uma força estranha são atraídas para um ponto comum onde se darão os resgates coletivos. No mundo inteiro estão acontecendo estes encontros que culminam em tragédias, acidentes terríveis que nossos olhos constatam com horror, fruto da inferioridade dos habitantes da Terra.

O mundo não se acabará, não adiantam datas previstas, pois isto jamais acontecerá. Deus não criou o planeta para que ele se extinguisse ante nossos olhos e não mais pudéssemos continuar com a nossa evolução tão sonhada.

Cada vez mais sofrimentos acontecerão, a maldade ganhará vulto pela imperfeição da humanidade. Será como numa roda viva até que seja pago o último ceitil, como afirmou o Mestre. Os tambores cantarão e as guerras continuarão. Os acidentes provocados pela imprudência, os assaltos cada vez mais atingirão nossas vidas, porque os Espíritos endividados estarão à solta e os devedores de alguma forma terão que resgatar seus débitos.

Haverá um tempo em que a paz reinará neste planeta e não mais as guerras dominarão os países. É verdade que nosso coração se aperta ao ouvir diariamente noticiários de mortes, por assassinatos, crianças raptadas, idosos espancados e jogados nos rios para que seus corpos desapareçam.

Onde a justiça divina, nos perguntamos muitas vezes! Onde está este Deus que deixa que estas coisas aconteçam a seus filhos?

Certamente nossos Espíritos ainda tão sem entendimento não alcançaram o verdadeiro pensamento do Pai, que nos criou com tanto amor e sabedoria para que atingíssemos através do nosso próprio esforço a perfeição. Não nos esqueçamos que de acordo com nossas obras, será nosso destino. Se plantarmos o bem, certamente lá adiante colheremos os frutos de uma existência melhor. O dia em que as criaturas perdoarem-se partindo para um entendimento melhor do verdadeiro sentido desta nossa passagem pela Terra, tudo se acalmará. Até lá continuaremos a sofrer o impacto deste planeta que aparentemente caminha para o final, mas que lá adiante após muitos séculos surgirá ileso, pleno de luz e sabedoria, com habitantes desejosos por construir uma nova era, baseada na satisfação do amor pleno de ensinamentos, que perdoa, esquece, ensina o caminhar decidido na direção do outro menos favorecido.

Não temam, pois a humanidade prosseguirá por muitas encarnações ainda, errando e acertando, até a verdadeira evolução do Espírito. Só assim teremos um planeta pleno de luz e sabedoria. Um planeta de muita paz, que prosseguirá com seu papel de receber Espíritos, desta vez para habitarem com muita propriedade a escola da vida. Sim, porque se a Terra é um educandário onde nós, criaturas endividadas, renascemos para o aprendizado, nela continuaremos, agora, num estágio mais elevado. Deus não enviaria seus filhos para cá a fim de completarmos nossa evolução nesta bendita escola e depois a destruiria!

O que acontecerá futuramente será de nossa inteira responsabilidade. Repetiremos os anos de encarnações em encarnações, até aprendermos a lição.

E quando a Terra simbolicamente se tornar a Faculdade do Futuro certamente se não pudermos acompanhá-la ficaremos na retaguarda, em outras escolas, em outros mundos que estarão se formando, para nos abrigar novamente, até que nos tornemos dignos de um mundo melhor.

A transformação da humanidade se cumprirá pelo nascimento de Espíritos melhores que construirão sobre a nova Terra uma geração que ajudará no progresso do Novo Homem. E os maus serão deslocados para planetas que estarão se formando, mundos novos onde cumprirão missões sofridas para seu próprio adiantamento e certamente trabalharão e auxiliarão a nova humanidade de irmãos inferiores e menos esclarecidos que eles.

Eis a resposta a todos os anseios da humanidade. O mundo há muito está se transformando... O mundo não se findará. Deus Existe!

Sucesso total no almoço da ADE-PR

Os laços de amizade e cooperação existentes há muitos anos entre a ADE-PR e a S.E. Os Mensageiros da Paz, permitiram que as instalações desta última fossem utilizadas para a realização de um almoço beneficente no dia 26 de abril.

Cerca de 250 pessoas compareceram.E elogiaram a organização e o cardápio. Quase meia centena de brindes foi distribuída. A receita foi totalmente direcionada às atividades de divulgação e comunicação espírita que a ADE-PR desenvolve há quase 14 anos.

Nossos agradecimentos especiais à direção dos “Mensageiros” pela acolhida e à equipe que trabalhou arduamente para “dar conta do recado”: Alessandra, Carvalho, Jane, Júnior, Iolanda, Lia, Léa, Lizete, Miriam, Reinaldo, Roberto, Robson, Vilma, Wilson, Wilson Neto e Zélia.

Autorretrato

A capa da edição n° 14 do então “ADE-PR Informativo”, referente ao bimestre jul-ago/1999 foi dedicada às notícias internas. A primeira matéria comunicava a eleição de diretoria para o triênio 99/2002. A Assembleia Geral realizada em 08 de junho manteve Wilson Czerski e Y. Shimizu respectivamente como presidente e vice.

No Relatório de Administração apresentado à apreciação dos Associados, destaque para os 4774 livros distribuídos pelo Clube do Livro, o saneamento financeiro após a crise do ano anterior e a conclusão da preparação dos originais de um livro especial sobre divulgação espírita que passava, assim, à fase de busca de editoras interessadas na sua publicação. Tal objetivo seria alcançado em 2001 com o título “A Eficiência na Comunicação Espírita”.

A outra informação dava conta sobre a elaboração do Primeiro Planejamento Estratégico da ADE-PR, resultado de três dias de trabalho com diretores e colaboradores e com horizonte de cinco anos. Como primeiro resultado estabeleceram-se: a MISSÃO – “Divulgar a Doutrina Espírita utilizando a tecnologia existente”; a VISÃO – “Tornar-se uma central de informações que possibilite a divulgação do Espiritismo”; o PÚBLICO-ALVO – “A sociedade como um todo e idealistas que se empenhem na divulgação do Espiritismo”; e os VALORES ÉTICOS – “Aprimorar a metodologia de trabalho de acordo com as princípios básicos da Doutrina Espírita quanto à conduta ética e cumprir as formalidades das leis”.

O Editorial também tratou da própria instituição, analisando, com base na questão 783 de O Livro dos Espíritos, que trata da necessidade ocasional das crises para apressar o progresso, a experiência vivenciada no âmbito interno. Pequeno trecho ilustra o sentimento da diretoria naquele momento: “Quando parecia navegar em águas calmas sob céu de poucas nuvens, subitamente viu abater sobre si violenta tempestade que por pouco não fê-la soçobrar, submergindo nobres ideais nas profundezas escuras da frustração. Um ano de lutas estóicas, de dedicação e persistência por parte de um pequeno grupo de pessoas que negou terminantemente deixar-se arrastar pelos vagalhões de dificuldades que se sucediam sem intervalo”.

Ainda na página 02, o colaborador José Maia sintetizou o Encontro da Família Espírita realizado nos dias 10 e 11 de julho no C.E. Luz Eterna, em Curitiba. Elaine Tornel, de Juiz de Fora-MG desenvolveu dois módulos de estudos: “A Família através dos Tempos, a Família na Visão Espírita e a Família e suas Integrações com a Parentela, a Comunidade e o centro espírita” e “Os Recursos a serem utilizados para o resgate do amor em família”. Já a também mineira Beatriz Lourenço de Lima Prata falou sobre “O Relacionamento Conjugal” e “O Relacionamento Pais e Filhos”.

Na página 03, Walter Baruffi escreveu sobre “Morte e Cremação”, desmitificando o medo de ambas. Ao demonstrar que o espírita consciente não encontra base lógica para se atemorizar diante da experiência inevitável de abandono do corpo pelo espírito e da destinação que este venha ter – se a inumação ou a cremação -, o articulista tranquiliza aqueles que como já disse um antigo filósofo, deve-se viver bem para se morrer bem.

Na última página, o Associado Waldemar Krepke Duarte, então residente em Foz do Iguaçu, discorreu sobre a necessidade do Estudo Sistematizado, texto no qual elegeu 12 pontos a serem observados por todos aqueles que pretendem tirar verdadeiro proveito da frequência à Casa Espírita. Todos estes pontos são citações de obras espíritas diversas como as Básicas, Desobsessão, Devassando o Invisível, Paulo e Estevão, Nos Domínios da Mediunidade, etc.

Assim, para os autores destes livros o estudo é essencial nas seguintes áreas: atividade doutrinária; no serviço eficiente; na divulgação; na assistência social; na mediunidade; nas reuniões públicas; para a criança e o jovem; na estruturação dos cursos; para provocar a reflexão; o estudo aliado à fé; por provocar a libertação e a sua associação ao amor.

Outras duas notícias da edição: a palestra de Orlando Martins, de Maringá, no dia 16 de julho, comemorativa ao Cinquentenário do C.E. Filhos da Verdade, de Curitiba e a desvinculação do serviço Disk Espiritismo da ADE-PR. Queda no número de voluntários e de atendentes foi a principal razão para o desligamento do grupo que a partir daí voltou a se reunir em uma sala da “Faculdades Espírita”.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2019 / Desenvolvido por Leandro Corso