ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 114ª edição | 03 de 2016.

Autorretrato

Homenagem na Assembleia Legislativa do PR; mensagem mediúnica no Louvre, Espiritismo e Direito, a atualidade do “Mensalão’, entrevistas e seriados ‘espíritas’ na televisão.

 

Em destaque na capa da edição n° 55, bimestre maio-junho de 2006, do nosso periódico, a notícia e registro fotográfico da homenagem que a Assembleia Legislativa do Paraná prestou pela passagem dos 149 anos de lançamento de O Livro dos Espíritos.

Iniciativa do deputado Marcos Isfer, a sessão especial contou com as presenças do presidente daquela casa, da então presidente da FEP, Maria Helena Marcon, do presidente da ADE-PR, Robson Balaguer, do vice-presidente da Confederação Espírita Argentina, Juan Antonio Durante, Maury Cruz da SBEE, entre outras autoridades. Apresentou-se na oportunidade o Coral do Centro Espírita Ildefonso Correia.

Fatos são fatos. Não se pode negá-los ou ocultá-los. Estamos aqui relatando ocorridos há uma década. Esperamos sirva para uma reflexão geral. A proposta da homenagem teve outro nome, o também então deputado estadual André Vargas cujo discurso foi reproduzido no Editorial. Lembramos aqui pequeno trecho de sua fala.

(...) o que me trouxe para cá, para a política, para o movimento social, foi a orientação dessa doutrina... a participação política é, entre nós, uma polêmica permanente, uma boa polêmica, mas certamente, o esforço pela melhora contínua do mundo e principalmente de nós mesmos, porque melhorados, melhoramos o mundo.

Na página 5, na seção “A Revista Espírita de Kardec”, o período enfocado foi o 2º semestre de 1859. No resumo colocamos: “A influência dos espíritos no campo de batalha” (sobre as comunicações de dois combatentes franceses mortos em Magenta, na Itália, contra os austríacos); “Rousseau” citado pelo espírito de Montaigne; “a escrita mediúnica direta” (surgida nos degraus do altar de uma igreja); “e um fenômeno no Louvre” (quando Didier, acompanhado da médium Huet, obteve em 12 de julho uma curta mensagem escrita no mármore do pedestal de Luis XIV, no mais famoso museu do mundo. A mensagem dizia apenas: Amai a Deus – B.).

Ainda constante do resumo “Mensagens de Voltaire” com a transcrição, por Kardec, no mês de setembro, de uma mensagem assinada pelo grande filósofo obtida em Bolonha, Itália. O Codificador rebate nos seus comentários as críticas feitas ao estilo diferente de Voltaire, uma vez que esta não fora a primeira comunicação sua, pois outras já haviam sido publicadas em edições anteriores.

Uma curiosidade foi narrada por um jurado em julgamento de assassinato. Mesmo com a confissão do réu, pouco mais que adolescente, o jurado decidiu evocar o espírito da vítima, uma senhora idosa. Esta informou que o jovem fora induzido ao crime pelo espírito de um homem que, cinquenta anos antes, frustrara-se na tentativa de manter um relacionamento amoroso com ela. A comunicação mediúnica parece ter funcionado como atenuante e o réu escapou da pena capital.

Outra situação tragicômica foi descrita na última edição da Revue de 1859. O espírito que se identificou como Dirkse Lammers, numa sessão em Haia, Holanda, contou que dois vizinhos se desentenderam após o cão de um ter matado as galinhas da outra. Como represália, esta envenenou o cão e foi agredida pelo seu dono. 

Preso por três meses e após pagar multa, quando libertado enforcou o advogado da ação condenatória, simulando suicídio. Outros três meses se passaram e não suportando o remorso, enforcou-se ele por sua vez. Tudo isto em m1592. Portanto, a história completa só veio à tona e por meio da mediunidade, quase 270 anos depois.

O detalhe é que pesquisas levadas a efeito no Fórum local confirmaram a morte por enforcamento naquele ano de um advogado cujo nome Dirkse Lammers havia informado.

Na página 6, na seção “Por que saber”, enfocamos o tópico Espiritismo e Direito.  Em “O Livro dos Espíritos”, cerca de um quarto da obra (306 perguntas) é dedicada às questões relacionadas ao Direito, pois que ocupam “O Livro Terceiro – Das Leis Morais”. Não menos significativas as menções em “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, desde o primeiro capítulo; depois no cap. V, o item “A justiça das aflições” e no XI, “Dai a César...”, a caridade para com os criminosos e o “não julgueis”... Ênfase à questão 797 de OLE sobre o progresso social e moral em face da reformulação das leis humanas.

Pena de morte, aborto, direito de propriedade e as invasões do MST, os direitos das mulheres, Estatutos do Idoso e das Crianças e Adolescentes, maioridade penal, eutanásia, são muitos os temas a serem debatidos, contextualizados. A certa altura do texto, lia-se: O ideal é que as Casas Espíritas promovam... seminários e outros tipos de estudos abordando tais assuntos para que se alcance um consenso mínimo... Porém, não se concebe que tais orientações teóricas ou para práticas de conduta sejam aguardadas exclusivamente da dimensão espiritual sem a participação responsável dos encarnados. Muito menos que sejam emanadas de cima para baixo por lideranças presunçosas... sem sequer dialogar e amadurecer discussões em todo o Movimento Espírita.

Na seção “Atualidades”, página 8, o título do texto era A Justiça que desejamos. No boxe destacamos trecho da questão 789 de OLE: A humanidade progride pelos indivíduos que se aperfeiçoam aos poucos e se impõem pelo número liderando movimentos que provocam as transformações das leis e costumes. Além desta foram citadas as de número 795 e 797 (variação e progresso da legislação humana), 784 (sobre a necessidade do excesso do mal), 917 e 685 (ênfase na educação como arte de formação do caráter) e 932 (sobre a fraqueza dos bons e audácia dos maus).

Tudo isso para analisar três eventos na área jurídica ocorridos naqueles últimos dias: o julgamento do jornalista Pimenta Neves, assassínio confesso da namorada; a liberação da cadeia do juiz Nicolau dos Santos Neto condenado por desvios na construção do TRT de São Paulo e as primeiras denúncias oferecidas pelo Procurador Geral da República contra 40 envolvidos no “Escândalo do Mensalão”.

Na página 9, Alcina Brasileiro Hall, coordenadora de Relações Públicas da Associação de Educadores Espíritas do Partaná, assinou artigo intitulado “Curas deve ou não ser ocupação das Casas Espíritas?”.

Na página 10, notícias sobre a temática espírita na televisão como no programa Marilia Gabriela Entrevista, em 30 de abril, no qual falou com Marcel Souto Maior, autor de “As Vidas de Chico Xavier”. No Mais Você, Ana Maria Braga entrevistou, em 03 de maio, Sonia Rinaldi, pesquisadora de Transcomunicação Instrumental. A terceira menção fora sobre o Globo Repórter levado ao ar no dia 13 de maio que tratou de TVP, EQMs, reencarnação e curas.

Na página 11, seção “Divulgar com Eficiência”, o tópico ministrado foi Divulgação pelos Centros Espíritas: quadro de avisos, mensagens avulsas, boletim interno, parcerias, adesivos para veículos, livros e jornais.

E fechando a edição, matéria sobre os sucessos das séries televisivas Ghost Whisperer e Medium que tiveram várias temporadas de apresentação no Brasil.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2019 / Desenvolvido por Leandro Corso