ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 134ª edição | 07 de 2019.

Um idioma, uma só economia,uma só moeda e um só pastor

Por Carlos Augusto de São José

Em 1887, na ardência do seu ideal, o médico polonês Ludwig Lazar Zamenhof lança o Esperanto, língua auxiliar que se internacionaliza com o objetivo de aproximar todos os povos do planeta e estreitar os laços de fraternidade, superando as diferenças e preconceitos gerados pelos mais de 3.000 dialetos e idiomas falados em cerca de 200 países.

Inicialmente desacreditado, o Esperanto expande-se, ainda que lentamente, com sua forma expressional de fácil aprendizagem. A UNESCO reconheceu-lhe a importância. Não é mais utopia. Sociedades de estudo, grupos, livros, seminários e congressos multiplicam-se em todo o mundo, dando-nos a certeza de que em poucos séculos será o idioma de todos.

A globalização da economia imposta pelas mais poderosas organizações mundiais, com todas as suas imperfeições e interesses subalternos, sofrerá as devidas correções para produzir a simplificação necessária, abrindo o tão desejado caminho para a justiça social, a pacificação dos corações e o fim das guerras injustificáveis.

Uma só moeda, para todas as nações, por mais fantasioso que pareça, será a solução brevemente compreendida e desejada, mas covardemente reprimida sob a ação de interesses escusos.

No mundo de regeneração todos os países abrirão mão de sua inquebrantável soberania, com vistas ao bem-estar de todos. Sem derramamento de sangue, este gesto é um marco histórico na relação dos europeus e asiáticos que, por muito menos no passado, iam para os campos de batalha. Será a glória de bilhões de seres, por terem derrubado a intransponível muralha do orgulho ético. 

Explodem surtos de religiosos em todas as regiões, incluindo aquelas que se deixavam dominar pelo exótico socialismo materialista. Budistas, hinduístas, muçulmanos judeus, católicos, protestantes, umbandistas e tantos outros adeptos de outros credos nunca buscaram Deus com tanta sofreguidão. Empresários, cientistas e tecnocratas que apostavam na morte da fé com os progressos obtidos, começam a dobrar-se ante a evidência da ação espiritual, pelos resultados positivos apresentados em pessoas mais humildes como operários, funcionários e executivos que deixaram os vícios por acreditarem na Justiça de Deus e na imortalidade da alma.

O “Evangelho Segundo o Espiritismo”, desde 1864, trata dos ciclos evolutivos e antecipa a chegada dos novos tempos em que haverá somente um único pastor para um só rebanho. Cansados dos pesados fardos da cultura materialista, os homens buscarão Jesus como o vegetal busca a luz do sol para a indispensável fotossíntese. A planta precisa dos nutrientes como precisamos dos ensinamentos evangélicos para a construção da Humanidade redimida.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2019 / Desenvolvido por Leandro Corso