ADE-PR: Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná

Especial

Marca de nascença no menino Ian é evidência a favor da reencarnação. Assista o vídeo clicando aqui.

Jornal Comunica Ação Espírita | 137ª edição | 01 de 2020.

As EQMs, os ensinamentos dos Espíritos e as provas da ciência

 Pode parecer estranho iniciar um novo ano falando sobre a morte. É um assunto incômodo. O fato é indesejável. Mas tanto quanto este último é inevitável, falar dele é necessidade visto que as pessoas - até espíritas – possuem muitas dúvidas. Todos sabemos que na teoria é uma coisa, na prática é bem outra.

Trazemos nesta edição dois textos que podem servir de esclarecimento e conforto quanto ao futuro que nos espera. Nas páginas centrais (Palavra dos Espíritos e dos espíritas) somamos às informações do Movimento Espírita, de encarnados e desencarnados, as contribuições – aqui, admitamos, mais relevantes – dos estudiosos das chamadas ocorrências de Experiências de Quase-Morte. Já na página 7, algumas informações aleatórias estabelecem um complemento à matéria anterior.

Bom recapitular, por exemplo, em “O Livro dos Médiuns”, que raramente um espírito leva mais do que oito dias após a desencarnação para recuperar a lucidez. Ou, então, saber através da observação repetida muitas vezes que os fatos desmentem as explicações materialistas para o fenômeno das EQMs.

A perda de oxigênio faria a massa cinzenta deixar de distinguir a realidade da fantasia e a experiência fora do corpo seria apenas um modelo de memória do cérebro tomado como real.

Acontece, porém, que esse fator causa turvação da consciência, agitação, medo, agressividade, ilusão, alucinação e delírio, mas os relatos das EQMs são de pensamento claro, sentimento de paz, calma. Em outras circunstâncias pacientes estudados estavam com os cérebros bem oxigenados antes e depois da experiência, logo não eram alucinações.

Receba em casa a versão impressa do jornal Comunica Ação Espírita

Assine agora mesmo

ADE-PR © 2020 / Desenvolvido por Leandro Corso